domingo, 3 de julho de 2022

Redução de imposto fará litro da gasolina baratear até R$ 0,60 em Brasília

 

Enquanto o governo federal tenta repassar para a estados e DF o ônus da disparada dos preços dos combustíveis, os brasilienses poderão experimentar um alívio no bolso nos próximos dias. Na sexta-feira, o governador Ibaneis Rocha publicou, em edição Extra do Diário Oficial, o decreto que reduz a taxa do Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS), que incide sobre gasolina e derivados de petróleo na capital federal.

A expectativa é de que, no litro da gasolina, haja um rebaixamento de R$ 0,43, na compra de cada litro. No cenário mais positivo, essa redução pode chegar a R$ 0,60. Já o etanol (álcool) ficaria com uma queda de R$ 0,40 por litro. O decreto 4.3521/2022 do GDF estabelece para o limite máximo para alíquota de incidência do ICMS 18%, uma redução de 9%, em relação aos 27% anteriores.

O novo teto serve para operações com serviço de petróleo e combustíveis gasosos, além de energia elétrica, com faixas que atingem classes: residencial, industrial e comercial. O regramento ainda incide sobre comunicações e setor do transporte coletivo, dados como bens e serviços essenciais.

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes (SindiCombustíveis-DF) acredita que a mudança deve aumentar a demanda pelos produtos. "A partir da redução pela distribuidora, a revenda deverá repassar para o consumidor. Não determinamos a tabela de preços, mas é o esperado, a partir de uma análise de mercado, que sempre é dinâmico. É uma ação que trará mais clientes", analisa Paulo Tavares, presidente do SindiCombustíveis-DF. 

Não resolve

Embora ele afirme que para vendedores e consumidores, quanto menos impostos, melhor, o representante não acredita que se trate de solução para os altos preços praticados, em âmbito nacional. "O estado perde e terá um problema de recomposição de investimentos e gastos. Haverá a necessidade de uma futura reforma tributária, uma vez que, os estados precisarão buscar outros meios de arrecadação", diz Tavares, que destaca representar 70 associados, num contingente de 330 postos do Distrito Federal. 

Nos bastidores, algumas distribuidoras sinalizam a possibilidade de faltar diesel, em três ou quatro meses. "Pode haver uma explosão de preços, passadas as eleições, em outubro. A Rússia, que é a segunda maior produtora de petróleo, já traz contingenciamentos e, na Europa, já se aponta para uma crise energética", observa Tavares. 

"Os esforços dos estados já vinham desde novembro de 2021, quando um convênio fixou valor para cada litro de combustível. Houve depois uma tentativa de padronização de valor único de imposto que acabou não sendo implementada. E a lei complementar 194, posterior, estabeleceu entre 17 e 18% a cobrança de ICMS para o segmento", explica o especialista em contas públicas Murilo Viana.

Murilo Viana avalia com cautela a maneira que essa redução será sentida pelo consumidor. A implementação da Lei Complementar federal 194, que limita a cobrança do ICMS por estados e municípios, deve ocasionar uma redução de até R$ 0,60, no caso do Distrito Federal. "A alíquota anterior, para a gasolina, estava numa correspondência de R$ 1,81 no preço final. Daí ser esperada a redução em cerca de R$ 0,60. A queda efetiva pode variar, a depender do comportamento dos elos da cadeia produtiva, como o repasse pelas distribuidoras e pelos postos de combustíveis", comenta Viana. A medida não deve impactar o preço do diesel na mesma proporção, que já tem ICMS de 14%.

Arrecadação

De todo o ICMS arrecadado pelo GDF, em 2021, a fatia relacionada aos combustíveis — que representou montante de R$ 2 bilhões — respondeu por 20,24% do volume. Murilo Viana observa que, entre janeiro e maio deste ano, foram arrecadados, apenas com combustíveis, cerca de R$ 960 milhões, "praticamente, 22% de toda a arrecadação de ICMS, em 2022, da ordem de R$ 4,3 bilhões", frisa. Recentemente, o governador Ibaneis Rocha publicou um decreto que contingenciou cerca de meio bilhão de reais do orçamento do DF.

Informações Diário de Pernambuco


Lula se reúne com presidente de Portugal após Bolsonaro cancelar agenda

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato ao Palácio do Planalto, se reuniu na manhã deste domingo, em São Paulo, com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. O encontro entre os dois ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro (PL) cancelar agenda com o líder europeu após saber que ele se reuniria com o petista. As informações são do Estadão.

Bolsonaro e Rebelo de Sousa almoçariam juntos amanhã, mas o presidente brasileiro decidiu cancelar a reunião após saber que o líder português também se encontraria com Lula, seu principal adversário na eleição deste ano, conforme apurou o Broadcast Político. O chefe do Executivo de Portugal, filiado ao Partido Social Democrata, desembarcou, ontem, no Brasil, para estreitar relações com o País.

Rebelo de Sousa disse a jornalistas, ontem, que inicialmente o governo brasileiro insistiu para marcar o encontro e que não considera o episódio um incidente diplomático. “Temos que saber separar o que é fundamental e o que não é, os povos continuam, os almoços podem mudar a data”, afirmou. “Não é haver um almoço ou não que altera o quanto os mais de 200 mil brasileiros gostam de Portugal e estão cá.”

“Quem convida para almoçar é que decide se quer almoçar ou não, e em que termos, em que ocasião. Pois eu digo, esteja à vontade, pois quem tomou a iniciativa de convidar não fui eu”, disse o presidente de Portugal.

Antes do encontro com Lula - do qual também participaram outras figuras ligadas a governos passados do PT, como o ex-chanceler Celso Amorim -, o presidente português cumpriu uma série de compromissos no Rio de Janeiro e em São Paulo nos últimos dias. Na capital paulista, Rebelo de Sousa participou ontem da abertura da 26.ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves


sábado, 2 de julho de 2022

Festejos juninos fazem prefeita Dra. Cátia Ribeiro aumentar a sua popularidade em Jataúba

 

Após dois anos parados por conta da pandemia os festejos juninos no município de Jataúba voltaram a todo vapor e vem sendo notório o crescimento da popularidade da prefeita Dra. Cátia Ribeiro que a cada evento realizado tem participado intensamente no meio do povo num clima de muita alegria e descontração.

Além do resgate das festividades nos centros tradicionais como os distritos do Jacu, Riacho do Meio, Juindiá e Passagem do Tó, a atual gestão através da Secretaria de Esportes, Cultura, Turismo e Lazer estendeu os festejos também para a sede do município, além das comunidades de Impoeiras e Mimoso, levando alegria e valorização a essas comunidades rurais.

Fato é que a prefeita anda nos braços do povo e tem visto a cada dia a sua popularidade aumentar entre a população do município, diferente de outras cidades onde os festejos já foram encerrados, o São João de Jataúba se estende até o dia 16 de julho uma vez que dois eventos ainda serão realizados, na próxima sexta-feira dia 08 na Vila do Riacho do Meio e dia 16 com o encerramento no Distrito Passagem do Tó.

Além do resgate das festas tradicionais, Jataúba vem ganhando destaque no estado de Pernambuco em relação a sua cultura, principalmente na propagação e valorização da renda renascença.

Informações Jota Silva / Papo Reto News


Antônio de Roque testa popularidade visando as Eleições municipais de 2024

 

Esse mês de junho marcou o ressurgimento do ex-prefeito de Jataúba Antônio de Roque ao cenário político local, desde que deixou a prefeitura em dezembro de 2020 o ex-prefeito optou pelo silêncio e pouco apareceu deixando inclusive dúvidas na cabeça do eleitor quanto ao seu futuro político, bem como a sua postura enquanto principal líder da oposição em relação à atual administração.

Nesse mês de junho durante os festejos de São João no município Roque fez questão de marcar presença e ao que parece vem buscando testar a sua popularidade principalmente nos eventos realizados na Zona Rural. Sempre com um jeito peculiar o ex-gestor adota a política dos bons amigos e tem evitado fazer críticas a atual gestão, porém, foca na política do comparativo e tem no seu discurso a fala de que política é momento e que na hora certa a população fará o seu julgamento e decidirá sobre quem seguirá comandando os rumos do município.

Há poucos meses das eleições Roque irá usar as eleições de 2022 para medir o seu atual potencial de votos, uma vez que a polarização principalmente em relação aos candidatos a deputados estadual e federal pode dar fôlego ou não ao ex-prefeito para uma possível disputa a prefeitura de Jataúba em 2024. Apesar de manter um discurso da humildade informações dão conta de que o ex-prefeito e seus aliados andam confiantes de que darão uma boa margem de votos aos seus candidatos nas próximas eleições.

Informações Jota Silva / Papo Reto News


PP fica com Danilo, leva o PROS e vai comandar Ceasa, Porto do Recife e pastas

 

O martelo foi batido em reunião na noite desta sexta-feira (01). Foram à mesa, o vice-presidente do PP-PE, Lula da Fonte, que é herdeiro do deputado federal Eduardo da Fonte, presidente a legenda no Estado, Bruno Rodrigues, presidente do PROS em Pernambuco, e Danilo Cabral, pré-candidato ao Palácio das Princesas pelo PSB. O encontro se deu em Gravatá, no Agreste, e destinou-se a selar o apoio do PP e do PROS ao PSB.

Com o movimento, como a coluna cantara a pedra ainda em meados de junho, Bruno deixa a coordenação da campanha da pré-candidata do Solidariedade ao Palácio das Princesas, Marília Arraes. À coluna, Eduardo da Fonte, que se inclinara a apoiar Marília, já havia adiantado o seguinte: "O PP e o PROS vão caminhar juntos na decisão que tomar". Eduardo se encontrava em agenda em Lajedo, nesta sexta (01), e por isso não esteve no jantar. 

A costura que sacramentou a permanência do PP na Frente Popular envolveu um rearranjo de espaços na gestão Paulo Câmara. A secretaria de Desenvolvimento Agrário volta ao comando do PP e terá como titular Cláudio Asfora, irmão do prefeito de Brejo da Madre de Deus, Roberto Asfora. A pasta de Prevenção à Violência e às Drogas, até então sob comando de Cloves Benevides, passa a ter como titular Humberto Arraes, filho da deputada estadual Roberta Arraes

A troca consolida uma demanda antiga do PP após atrito interno na sigla. Os progressistas, há muito, haviam sinalizado, ao Palácio das Princesas, que Cloves já não representava a legenda, mas não haviam obtido resposta. As nomeações dos dois novos secretários serão publicadas já no Diário Ofical deste sábado (02). 

De novidade maior na cota do PP, passam a constar a Ceasa, até então, sob o comando de Gistavo Melo, que será substituído por Bruno Rodrigues, e o Porto do Recife, que encontrava-se na cota do presidenciável Luciano Bivar e, agora, será presidido por Tito Moraes. O IPA, que teve Kaio Maniçoba à frente, passa, agora, ao comando de Bartolomeu Monteiro.

Essa rearrumação toda possibilitou ao PSB assegurar que o PP não deixasse a aliança. O partido ensaiou declarar apoio a Marília Arraes e a ida de Bruno Rodrigues para a coordenação dela foi lida dentro do Governo do Estado, na ocasião, como uma senha, inclusive, de que o PP iria junto na sequência devido à relação estreita e antiga de Bruno Rodrigues com os progressistas. Ao contemplar o PP, o PSB provocou provocou dois desfalques de uma só vez na campanha de Marília Arraes, além do marqueteiro.


Pé de Guerra - A rearrumação para contemplar o PP provocou racha interno no PSB. Há incômodo latente, nas coxias, de uma ala socialista, com a dimensão conferida aos progressistas. No entanto, os mais moderados lembram que, de novo, na cota de Eduardo da Fonte, há, agora, só mesmo a Ceasa e o Porto do Recife. Os demais já eram da sigla e haviam sido subtraídos pelo próprio PSB.

Escapuliu - O PP possui 10 deputados na Alepe e a maioria já queria marchar com Danilo Cabral. O partido tem ainda 20 prefeitos filiados e mais seis que marcham junto com seu conjunto. Ver esse exército escapar, definem parlamentares, representa "atrapalho significativo" à Marília Arraes. 

Previsão - A agenda que seria realizada ontem, no Palácio das Princesas, com Lula da Fonte, Danilo e Paulo Câmara, não ocorreu devido às fortes chuvas que impediram a presença dos prefeitos

Informações Folha de Pernambuco


Líder de caminhoneiros não descarta possível paralisação

 

Mesmo com a aprovação em dois turnos da PEC 1/2022 pelo Senado, que viabiliza a criação do “voucher caminhoneiro”, a categoria não se dá por satisfeita e não descartou uma possível paralisação em todo o país. De acordo com Wallace Landim, principal líder dos caminhoneiros e presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), a medida é claramente eleitoreira e não atende aos motoristas rodoviários. 

“Eu estou trabalhando para uma organização de todos os segmentos de toda a sociedade porque a gente precisa fazer alguma coisa. Não descartamos a paralisação dos caminhoneiros, mas não vou avisar a data. Toda vez que antecipamos eu recebo uma enxurrada de liminares antes do ato, com multas pesadas”, revela Chorão em conversa com o Congresso em Foco.

Para o líder dos caminhoneiros, a corrida para a aprovação da PEC 1/2022 mostra que o governo está perdido. Além disso, a paciência dos caminhoneiros, que já não acreditam mais nas promessas de Bolsonaro, estaria no fim.

Tanque de caminhão dá mais de R$ 5 mil

“Essa PEC só prova que o governo está totalmente sem rumo, descontrolado. A proposta pode até ajudar a alguns segmentos do transporte como os motoristas de aplicativos, taxistas e transporte escolar, por exemplo. Para o rodoviário, não atende. O motorista do meu caminhão abasteceu 700 litros de diesel ontem e deu R$ 5.406. Então, como é que R$ 1.000 vai ajudar? Ele me mandou até um vídeo debochando”, declara o presidente da Abrava. 

Outros motivos que têm colocado a categoria, que foi uma das que apoiou a eleição de Bolsonaro, contra o governo são as frequentes altas do diesel e a falta de transparência quanto ao estoque do combustível usado pelos caminhões e a não fiscalização da tabela de fretes.

“A gente pede transparência quanto a um possível desabastecimento de diesel no país e os aumentos frequentes. Mas a única coisa que a gente tem transparência nesse governo é o quanto a Petrobras tem de lucro e o quanto paga de dividendos aos acionistas”, critica Chorão.

Informações Blog do Magno Martins


sexta-feira, 1 de julho de 2022

Luciana ganha força para vice de Danilo e visita de Lula a PE fica para agosto

 

Presidente nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos é aliada de primeira hora do PT e do ex-presidente Lula com quem tem relação antiga e estreita. Ela esteve presente nos diversos momentos da tajetória eleitoral dele desde 1989, assim como também sempre esteve ao lado da Frente Popular em Pernambuco. Não à toa a dirigente nacional dos comunistas foi fundamental em articulações decisivas, como a que resultou na retirada, pelo PT, da candidatura de Marília Arraes ao Palácio das Princesas em 2018 em favor do PSB.

Coube a Luciana, ali, fazer o meio de campo entre o PSB e o PT. Agora, ela pode ser, mais uma vez, uma peça-chave para o PSB em meio às construções para a corrida eleitoral que se avizinha. Luciana tende a ser, agora, uma nova variável a reforçar a digital de Lula na chapa encabeçada por Danilo Cabral, pré-candidato do PSB ao Palácio das Princesas, caso venha a ser a candidata a vice do socialista.

Essa tese tem ganhado força nos bastidores desde a semana passada. Luciana teria o aval de socialistas graúdos, a exemplo do governador Paulo Câmara, de quem é vice atualmente. A costura em curso passa ainda pelo reforço que a comunista daria à ala feminina na chapa, que já conta com a deputada estadual Teresa Leitão como pré-candidata ao Senado. Ter duas mulheres nessa composição daria a Danilo Cabral mais lastro para ir para uma disputa tendo duas pré-candidatas de peso no páreo, que são Marília Arraes e Raquel Lyra.

No caso da tucana, ela ainda trabalha com a previsão de ter a deputada estadual Priscila Krause na chapa, o que impulsiona ainda mais os socialistas a escolherem Luciana para assumir a missão de postular a vice-governadoria mais uma vez. Luciana deve ainda ser personagem determinante no enfrentamento a Marília Arraes, que vem ancorando sua pré-candidatura no apoio a Lula, a despeito de ter trocado o PT pelo Solidariedade.

- PUBLICIDADE -

O fato de Marília vir colando em Lula soma também para que Luciana seja convocada. No próximo sábado, Luciana estará, inclusive,com Lula em Salvador (BA). A agenda dele em Pernambuco que, como a coluna antecipara, deve compreender passagens pelo Recife, Garanhuns, Caetés e Serra Talhada e tinha previsão de ocorrer entre 10 e 15 de julho, tem, agora, nova data para agosto. O novo prazo saiu da reunião de agenda da pré-campanha do líder-mor do PT, realizada nesta terça-feira (23). 

Tête-à-tête
Lula é muito, dizem aliados, das relações que cultiva no tête-à-tête e Luciana Santos é uma dessas pessoas de trânsito livre com ele, como também passou a ser Paulo Câmara. Luciana tem sido presença constante nas agendas da pré-campanha de Lula. Ela esteve em Sergipe com ele e, há uma semana, estava em São Paulo, sentada ao lado de Lula à mesa do evento que marcou o lançamento das diretrizes do plano de governo dele. 

Benção > Luciana Santos chegou a lançar sua pré-candidatura ao Senado. Na ocasião, se ventilou a hipótese de ela vir a ocupar a vaga com a benção de Lula, o que pode se dar, agora, na vice.


Anarriê > Como a coluna cantara pedra, Simone Tebet teria agenda em PE, originalmente, na última sexta (24), que acabou adiada para esta semana. A ideia era que ela conferisse os festejos do São Pedro, em Caruaru. Mas a equipe dela fez alerta a aliados sobre votações no Senado que poderiam inviabilizar a agenda.

Informações Folha de Pernambuco