domingo, 19 de dezembro de 2021

Humberto nega movimento para vice do PSB

 

Em uma reunião virtual realizada hoje, o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores aprovou uma resolução que, entre outros pontos, referenda o nome do senador Humberto Costa (PT) para disputar o Governo de Pernambuco. Foram 35 votos favoráveis, nove contrários e cinco abstenções.

Ao ser perguntado pelo Blog sobre a decisão, o parlamentar disse que "é apenas uma colaboração para a discussão na Frente Popular". "Esperamos que seja levado em consideração pela Frente como um todo. O processo ainda está aberto porque o governador Paulo Câmara está fazendo suas consultas. Consideramos que é ele quem vai encaminhar o processo", continuou.

Aliado do governador Paulo Câmara (PSB), Humberto Costa negou que a finalidade deste movimento seria a de designar um vice para a chapa encabeçada pelo PSB ao Governo: "Quem vai indicar o nome para compor a chapa, se o PT não tiver candidatura ao Governo, vai ser o partido. Não sou dono do partido. Essa discussão vai ter que ser travada com todas as correntes políticas dentro do PT. Isso é uma queimação que estão querendo fazer."

Questionado sobre a situação da deputada federal Marília Arraes (PT), que ainda trabalha com a possibilidade de se lançar ao Governo, Humberto foi cuidadoso. "Marília é um nome forte, de peso. Tem feito um bom mandato parlamentar. Se ela for candidata a qualquer coisa, terá sem dúvida uma votação expressiva", disse.

Teresa Leitão questiona rapidez na decisão

Muito próxima à Marília, a deputada estadual Teresa Leitão (PT) se opôs à resolução. "Eu coloquei que o momento não era adequado para aquela resolução, que não foi unânime. E Humberto tem que sair como nome indicado de maneira unânime. Defendo que ele possa ser o nome, mas tem que haver unanimidade, e o tempo político não foi suficiente para construir isso", declarou.

Teresa também fez questão de destacar que o PT segue oficialmente fora da Frente Popular. "Nós precisamos primeiro oficializar a volta para a Frente Popular e nós não voltamos. Há um indicativo da Executiva Nacional (do PT) para que haja a composição, mas isso envolve outras questões", afirmou.

O Blog tentou contato com a deputada Marília Arraes, mas não obteve sucesso. Uma fonte petista reforçou, em reserva, que o desejo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é indicar o candidato ao Senado numa possível aliança com o PSB. O líder do PT pretende aumentar a quantidade de parlamentares da sigla na próxima legislatura no Congresso.

Por Houldine Nascimento / Blog do Magno Martins


Nenhum comentário:

Postar um comentário